sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Mais um trabalhinho escolar...

Hoje, eu e mais duas colegas fomos fazer um trabalho. Um trabalho de Psicologia da Educação. O trabalho é só pra novembro, mas como uma de minhas amigas trabalha à tarde, aproveitamos a folga da escola pra fazer o trabalho. Eu aqui falando de trabalho e nem expliquei o quê é o trabalho. Bom, o trabalho era visitar uma instituição de caridade. Cada dupla ou trio do 2° ano do Magistério vai visitar uma instituição e, em novembro, juntaremos as duas turmas e falaremos da nossa visita. A professora tinha uma lista de instituições, como eu e minhas amigas fomos as últimas a escolher, não tivemos muitas opções. O mais próximo que conseguimos foi no Centro.
A nossa instituição foi a Casa Família Elói Galon, da rede Murialdo. A 'instituição' é um abrigo pra menores que, em sua maioria, possuem pais envolvidos com drogas. Na casa vivem 12 crianças entre 3 a 15 anos. Junto com essas crianças moram Elói Galon e sua esposa Nilsa com seus dois filhos. Fomos muito bem recebidas lá e realmente admiro o trabalho deles.
A casa funciona a cerca de 8 anos e já passaram por lá cerca de 40 crianças. O Elói e a Nilsa até citaram o caso de um rapaz que agora já tem uma filha e tem uma companheira. Eles disseram que na época que esse rapaz morou com eles ele estava envolvido na droga e era um tanto rebelde. Hoje em dia o rapaz vai visitá-los e leva sua filha junto. Quando os visita, ele conversa com as crianças e diz que, na época em que morava ali, sempre reclamava de alguma coisa, agora, pai de família, ele percebe que Elói e Nilsa sempre fizeram o melhor por ele.
Nilsa nos explicou que eles fazem o máximo para manter a rotina de uma família normal. De manhã as crianças vão para a escola, todos fazem as refeições juntos e passeiam nos fins de semana. Aos 18 anos, os jovens são encaminhados para cursos profissionalizantes e empresas.
Eu e as gurias fomos convidadas a visitar as crianças no fim de semana. Eu realmente espero voltar lá e conhecê-las. No Magistério aprendemos que a família é a base e o espelho da criança, pelo que pude perceber a Casa Família tem um ambiente muito melhor do que algumas crianças tem em casa. O Elói nos disse que as crianças são exigidas e que possuem responsabilidades, ou seja, elas são tratadas como filhos pelo casal.
Estava aqui pensando, aqui em casa já achamos uma família de 5 pessoas grande, imagina uma família com 14 crianças (as 12 do abrigo mais as 2 do casal)? E eu ainda reclamo de coisas superflúas... Espero realmente voltar lá e conhecer as crianças e, quem sabe, fazer meio que um trabalho voluntário com elas? Tenho certeza que eu sairia ganhando mais do que as próprias crianças. É algo a se pensar...
É, acho que o objetivo do trabalho foi alcançado...
=D

Nenhum comentário: