domingo, 1 de fevereiro de 2009

O dia em que a música morreu - 50 anos - Parte 2

"O frio estava nos fazendo hibernar. Só nos encontrávamos na escola, na hora do recreio, e talvez um noite nos fins de semana, quando íamos ao cinema ou fazíamos hora no Palace. Afora isso, íamos para o porão da casa de um ou outro e ficávamos jogando pinochle, assistindo televisão ou batendo papo.
No meio daquele inverno congelante, a tragédia de abateu sobre nossas vidas. A notícia chegou pelo rádio. Vinnie Fontaine interrompeu uma música. Quando isso aconteceu, manjamos logo que era alguma má notícia.
Danny, Kenicke, Roger e eu estávamos no porão da minha casa, escutando o programa de Vinnie e trabalhando no projeto da pintura do Raio Brilhante.
Lembro da música que estava tocando na rádio na ocasião: 'Teenager in Love', de Dion e os Belmonts, uma música tremendamente quente. Vinni parou a música no meio para anunciar:
-Interrompemos o programa para uma notícia extraordinária. Atenção! Um avião transportando Richie Valens, Big Bopper e Buddy Holly acaba de cair em Yowa. Os três morreram...
Vince continuou a noticiar os detalhes do desastre e a falar sobre a excursão que os três tinham acabado de fazer, mas estávamos atordoados demais para escutar. Crescemos junto com aqueles caras, com eles partilhamos os nossos melhores momentos. E agora, de repente, eles estavam mortos. O pior é que nenhum deles era muito mais velho do que nós. Tinhamos a sensação de que os havíamos conhecido pessoalmente. Eram nossos amigos de uma maneira muito especial e sentiríamos a falta deles como velhos amigos.
Vince não disse muita coisa mais depois que terminou de ler a notícia. Tocou 'Peggy Sue' e 'That'll Be the Day'.
[...]
Depois ele tocou 'Chantilly Lace', de Big Bopper, e terminou com 'Ooh, My Head', de Richie Valens. Era um tributo profundamente triste e dos mais apropriados.
[...]
Acho que ninguém estava com vontade de fazer nada naquele dia. Nem mesmo Little Anthony, que nem sabia quem era Buddy Holly, mas assim mesmo estava na fossa."

*Trecho do capítulo 23 do livro "Nos tempos da brilhantina" de Ron de Christoforo, descrevendo como os jovens dos anos 50 reagiram ao acidente...

Nenhum comentário: