sexta-feira, 20 de novembro de 2009

'Estão abertas as inscrições pra coelhinho do Natal...


Falta pouco mais de um mês pro Natal, mas já faz pouco mais de um mês que as lojas começaram a usar decoração natalina. Ou seja, três meses antes da data oficial, o Natal se espalhou por ai. Daqui uns tempos os caras não fazem nem intervalo entre um ano e outro.
Mas a verdade é que as pessoas já nem sabem mais o que significa Natal. Não importa religião, idade, profissão, para todos o Natal tem um único objetivo: dar e ganhar presentes (melhor se ganhar mais do que der). Não estou aqui para dar lição de moral e dizer que Natal significa isso ou aquilo, mas sim pra criticar a ganância alheia.
Hoje em dia as crianças são criadas com a ideia de que Natal é presente, o máximo que os pais dizem é: 'Se não se comportar, Papai Noel não traz presentes'. Como se isso fosse verdade. Falando sério, alguém já deixou de ganhar presente por se comportar mal, por mais terrivel que tenha sido quando pequeno? Acho que não. Porque se os pais não dão, lá estão os vizinhos e padrinhos para fazê-lo, ou alguma alma caridosa. Imagina, uma criança passar o Natal sem brinquedo! Coitadinha!
O amor pelo dinheiro é tão grande que os comerciantes de todas as espécies acabaram por conseguir, unidos, que o Natal se transformasse em uma data de troca de dinheiro unicamente, ignorando qualquer coisa que qualquer religião defenda. Tudo que importa é o dinheiro. As vitrines são cobertas de toucas de Papai Noel e de caixinhas de presente ao redor de uma árvora de Natal e do que mais possa representar a data mais esperada do ano. Obviamente que, junto com os enfeites, há inúmeros cartazes com sentimentos adoráveis e promoções encantadoras. Ou até com certas chantagens, tais como 'Dê tal coisa de presente a tal pessoa e mostre que você se importa com ela', como que dizendo que, se não der tal coisa a tal pessoa, tu não se importa com ela.
Mas a maior apelação mesmo é para as crianças. Propagandas com mil e um brinquedos encantadores e com slogans ridículos. Propagandas que fazem com que a criança ache essencial para sua existência ter aquele brinquedo, nenhum nunca chegará ao nivel daquele que ela não pode ter. Ah, malditas propagandas, são tão apelativas e cansativas, sem um pingo de criatividade e, muito menos, de inteligência. Uma igual a outra, com o mesmo papo furado de sempre, mas que sempre pegam até o mais preparado contra elas.
Ah, o Natal! O que antes era uma data de amor, respeito e tralalalá, agora é a época do consumismo, da enganação, da apelação... Apenas mais uma data para receber presentes, mesmo que seja de alguém que você não vê desde o Natal passado, ou de alguém com quem você não simpatize muito... Não importa, desde que dê um presente, e um bom presente! Ah, claro, mas não se dá presente à toa, mas sim pra receber outro em troca (mais caro do que o que foi dado, de preferência) ou pra se gabar da condição social. Ou seja, dar presente é puro interesse, salvando, talvez, raros casos.
Mas e aí, o que tu achas? Estou ou não certa? Tudo bem, talvez tu descordes de mim, mas opiniões não se discutem, e essa é a minha. Resumindo tudo, acho que o Natal é apenas um exemplo do que se transformou a humanidade: um grupo de egoístas que se importam apenas com o próprio umbigo, que fazem tudo pensando em um retorno positivo para si, que já não sabem mais o que é paz e solidariedade, que encontram em tudo um modo de passar por cima dos outros, que riem e esnobam sentimentos reais, que fazem o mundo girar por dinheiro e nada mais.

5 comentários:

Erica Ferro disse...

Parece ter sido sem querer, mas o final rimou, hahaha!

Ah, Ana, muito bom o texto.

Na verdade, o natal é só mais uma data para que os lojistas ganhem dinheiro e criem mil e uma propagandas.
Mas o Natal é diferente por ter um clima mais, sei lá, dócil... com cara de final, um fim de um ciclo, de um ano...
Enfim, as pessoas se presenteam, fingem esquecer mágoas passadas, mas deixa que está tudo guardado naquele coração e memória obscura, haha!

A verdade é que muitas pessoas andam consumistas, superficiais e mesquinhas. Umas nojentinhas! =P

Um beijo, Ana.
Adorei sua postagem de hoje.

Roberto Camilo disse...

Acho que não só o natal né?
Toda data comemorativa vira desculpa para consumismo, páscoa, dia das mães e por aí vai.
É o papai noel mostrando pra que veio...rs

Marcelo Mayer disse...

vale lembrar que papai noel era azul, e ai a coca fez ele vermelho...
bom, não preciso dizer mais nada rs

Marcelo Mayer disse...

aliás, se jesus nasceu dia 25... pq o ano só começa dia primeiro de janeiro?
então nasci em 1984 DC mais 5 dias?

Natacia Araújo disse...

Espírito natalino não tem, mas em compensação espírito pra comércio, compra e venda do que quer que seja sempre vai existir. rs
Nós somos fantoches conformados, a verdade é essa. rs
Grande beijo querida!