segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Um crime americano


Hoje acordei no meio da noite e a única coisa de que me lembrava era do filme 'Um crime americano', que assisti já faz um tempo. Tentei pensar em outra coisa, mas acabava por voltar a lembrar do filme e quase desisti de voltar a dormir para vir aqui escrever sobre o filme, afinal, como diz Erica Ferro, o filme estava pedindo para ser tema do meu post de hoje. Acabei voltando a dormir e, só agora, mais de doze horas depois, sem quase nem me lembrar do filme, cá estou para trazer esse filme ao blog.

Acho que não fiz um post assim que vi o filme pois é difícil descrevê-lo. Poderia dizer que é um ótimo filme, no sentido de bem feito, mas é difícil classificar uma história dessas como ótima. O filme é realmente chocante, especialmente por ser baseado em fatos reais, e te deixa com uma angústia tremenda que só não te evita de ver o resto do filme porque tu ainda tens uma ponta de esperança de que tudo acabe bem. É o tipo de filme que nos faz pensar até que ponto as pessoas podem ser cruéis, te faz ter nojo da raça humana, ao mesmo tempo que agradece pela vida que tens.

É extremamente difícil falar desse filme. Gostaria de recomendá-lo a todos, mas a história é tão desprezível que talvez valha a pena nem ver. Poderia dizer-lhes que a história nos abre os olhos para a maldade humana, mas temo que quem assista possa perder toda a fé numa melhora da humanidade. Escrevo, escrevo, e não digo nada. Não consigo encontrar palavras. O ideal é decidires tu mesmo se queres ou não ver o filme. Segue abaixo a sinopse e o trailer. Decida-se.

Sinopse: No verão de 1965, o casal Lester e Betty precisa viajar a trabalho por alguns meses, mas não tem onde deixar as filhas Jennie e Sylvia Likens (Ellen Page), já que são novos na vizinhança. Depois de uma missa, as garotas conhecem a batalhadora Gertrude (Catherine Keener), uma mulher de 37 anos, mãe de quatro meninas e dois meninos, que se oferece para cuidar delas na ausência dos pais. Após negociar o valor do serviço, Lester e Betty acham melhor deixá-las, afinal terão novas amigas na casa. Doente e abandonada pelo marido, Gertrude tem cada vez mais dificuldade em cuidar dos filhos. Ainda mais quando não resiste às investidas de seu ex-namorado Andy (James Franco), para que lhe empreste dinheiro. Isto faz com que a mulher se torne cada dia mais amarga e vingativa. Quando sua filha mais velha Paula inventa que Sylvia anda espalhando mentiras sobre ela, Gertrude decide punir severamente a jovem. Com a demora do retorno de seus pais e com o rigoroso tratamento da nova mãe, Sylvia tenta fazer tudo para não trazer problemas para a casa. Mesmo assim, é alvo constante de torturas. Quando as pessoas começam a comentar que Paula está grávida de um homem casado, a mãe da garota decide trancar Sylvia no porão, onde ela será vítima de cruéis brincadeiras de crianças e adolescentes da vizinhança. Enquanto isso, Jennie não pode falar nada, sob pena de ter o mesmo tratamento da irmã.


2 comentários:

Lucas Lima disse...

cara bizarro este filme, a naturalidade da maldade chega deixar impressionado mesmo, até os com mais estômago, rs
bons dias

Erica Ferro disse...

Chocante mesmo!
Detestável, mas real.
Sim, com certeza real.
E é isso que mais choca e nos deixa irados.

Queria ver, mas sei que jogaria a televisão no chão e pisaria em cima dela, haha.

Ok, tenho que controlar isso.

Beijo.

P.s: Adorei ver meu nomezinho aí. =p