segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Nostalgia

É, acho que agora bati meu recorde. Não deixei o blog pra fazer drama ou tirar uma folga, e sim por real necessidade, já que não sabia mais o que escrever. Na verdade, ainda não sei o que escrever. Ando num momento nostálgico da minha vida. Tenho pensado em como minha vida mudou de 2007 pra cá, não só minha vida, mas eu mesma.
Há 3 anos eu não calava minha boca nunca, reclamava do que não achava certo, convivia com bons amigos e colegas, era viciada em televisão e em futebol, na verdade, quando o assunto era futebol, eu era insuportável, tanto que minhas amigas até diziam: 'Ana, vamos conversar, mas não sobre futebol'. Hoje tenho maior controle sobre minha língua, observo em vez de falar, não discuto quando acho que não vai dar em nada, que ninguém vai me apoiar, descobri que certas pessoas não mereciam minha amizade tanto quanto eu imaginava ao mesmo tempo que descobri grandes amigos onde menos esperava e já sou uma torcedora mais consciente e menos fanática do que era.
Amadurecimento? Não sei, talvez. Acho que aprendi a ver as coisas de um ângulo diferente. Descobri que amigos virtuais podem ser muitas vezes melhores que os reais, de uma certa forma (tenho 3 amigas virtuais espetaculares: Lynne, Erica e Gabs). Aprendi que às vezes é melhor ficar de boca calada. Passei a me entender melhor e esquecer o que os outros pensam ou dizem, manter minha opinião e minha personalidade acima de tudo.
Me diverti nessas últimas semanas lembrando de todas as hitórias que meus pais contam, e das quais eu não lembro, falando das minhas estrupulias de guriazinha e lembro de todos os apelidos que já tive por fazer isso ou aquilo. Ao mesmo tempo me arrependo de todas as burradas que fiz, das mais toscas às mais sérias, me remoendo por dentro, pelo que fiz e o que não fiz. Lembrei de pessoas há muito esquecidas e me reaproximei de alguns com quem não falava a um tempo.
É estranho olhar pra trás e ver como as coisas mudaram depois de uma decisão, e tentar imaginar como teria sido se tivesse escolhido outra alternativa. Ao mesmo tempo que é bom ter mudado em alguns pontos, há o temor de ter mudado em outros, que não deveriam ser mudados. O que causa uma mudança? Algo novo. Uma nova escola, um novo amigo, um novo ponto de vista sobre si mesmo. Observar a si mesmo é o melhor modo de descobri-se, com qualidades e defeitos, e mudar o necessário.
Rio sozinha quando paro pra pensar em como os outros me veem de modos diferentes. A Gabs me disse uma vez que eu sou a pessoa mais gaúcha que ela conhece por gostar só de bandas gaúchas. Outros acham que eu sou louca por não conhecer a banda do momento e sim ouvir uma música desconhecida por eles. Alguém já me disse umas duas vezes: 'Eu tinha medo de ti, tu é tão séria, achei que tu me odiasse'. Outros me acham a pessoa mais hilária do mundo, com minhas piadinhas sem graça, minha narração de uma conversa com alguém que não gosto e minhas expressões faciais, essas coisas sempre acarretam duas frases: 'Olha a vozinha que a Ana fez' e 'Olha a cara da Ana!', seguidas sempre de gargalhadas.
Incrivelmente, as pessoas sempre tem alguma história a meu respeito (a recordista é minha mãe, claro), na maioria das vezes contando como eu fui estúpida quando falaram comigo pela primeira vez, histórias que, na maioria da vezes, eu não lembro. Sem contar que vez por outra vem alguém dizer que sonhou comigo, normalmente sonhos bem estranhos, nada de 'sonhei que ganhei na loteria e dividi o dinheiro contigo', não ninguém sonha isso.
Ao mesmo tempo que todas essas coisas enxem minha cabeça, lembro que esse é o último ano com a velha rotina escolar, encontrando grandes amigas todo dia e pessoas que daqui uns anos eu nem vou lembrar, e que no próximo ano vem um estágio sobre o qual não tenho certeza nenhuma. E depois do estágio? Faculdade? Qual delas? Onde? Em Porto Alegre ou aqui mesmo em Caxias? Decisões que devem ser tomadas com a cabeça no lugar, serem bem pensadas, pois elas trarão novas mudanças que, uma hora ou outra, me trarão momentos nostálgicos como o de agora.
Mas pra que se arrepender do passado? Pra quê remoê-lo com tristeza? Não, o passado é o passado, com lembranças excelentes, outras nem tanto, com sonhos malucos não realizados. Do passado devem ser tiradas lições pro futuro e lembranças que façam rir em momentos de desânimo. Vamos em frente, com ou sem nostalgia, sigamos em frente e vejamos no que tudo isso vai dar.

7 comentários:

Erica Ferro disse...

E eu tenho medo de ver no que isso vai dar.
Mas ok, tenho que parar com essas lamentações de Jeremias, haha.

E eu te acho massa, Ana. É sério...
E eu já sonhei contigo; e não, não é aconselhável dizer aqui o que eu sonhei (mas você lembra, hahahaha).

A vida é um eterno renunciar, né, Ana?
Viver é escolher e, consequentemente, perder o que se deixou pra trás.

Enfim, não é fácil caminhar por essa estrada chamada vida, mas é preciso andar, tentar achar o ritmo certo dos passos e assim seguir, confiante, sem medo... IR!

Beijo, Seerig que eu amo.

Anderson Kravczyk disse...

"Do passado devem ser tiradas lições pro futuro e lembranças que façam rir em momentos de desânimo. Vamos em frente, com ou sem nostalgia, sigamos em frente e vejamos no que tudo isso vai dar".

Até ler o parágrafo anterior a esse, tava pensando em comentar algo parecido com o q tu escreveste na finalera.

Do passado devemos guardar as coisas boas e tocar pra frente. Pq o tempo, o tempo não para (...)

Bjo Ana, tu és uma guria muito tri o/

Natália disse...

Isso é o amadurecimento. Muitas das coisas que mudaram fazem falta. Beijo

Maurício Kehrwald disse...

Como desestruturar - ou, com sorte, encerrar - o casamento de algum desafeto

Encontro nastiness até nos lugares menos prováveis!

Nuno de Mattos Capeletti disse...

Sem bem-vinda novamente! Foi bom abrir meu blog e ver comentários teus.. ainda mais depois de ter lido sua saída do mundo dos blogs.

Parabéns pela volta.. momentos sem ideias acontecem, mas o importante é saber que os pensamentos e desejos, esses sim, nunca nos deixam!

Beijos

Super V disse...

acabei de fazer um post relacionado a mudanças também. acho que não pode se planejar o futuro pensando no passado... já diria o orkut! hahahaha.
é bom recordar histórias mas é melhor ainda pensar como serão os próximos capítulos. um beijo e obrigada por passar no PP, volte sempre que puder! xx

Mr. Blue disse...

ei long time no see...

um dos motivos pelo qual gosto do teu blog é que você escreve sobre vc, e sendo assim, sobre o comportamento humano! é autêntico! muitas pessoas passam por qualquer coisa na vida, e por menor que isso seja não notificam isso, ou nem se dão conta de que foi importante!

eu tbm tenho sofrido algumas mudanças, aliás, no ultimo ano eu fui uma verdadeira metamorfose ambulante! e nostalgia, putz, direto! aliás me identifiquei muito com a frase "Alguém já me disse umas duas vezes: 'Eu tinha medo de ti, tu é tão séria, achei que tu me odiasse'. Outros me acham a pessoa mais hilária do mundo". Porque além de nostálgico, eu aparento ser sério (ou chato, ou bobo, sei lá, só sei que eu realmente me incomodo com o que pensam de mim numa primeira impressão) e isso afasta as pessoas de mim... meio triste, mas sei lá, de algum modo vc passa a aceitar e conviver com isso, agora já sou algm que muitas vezes prefere a solidão do que a companhia de outra pessoa!