domingo, 21 de março de 2010

Internet: um mundo paralelo

O fato de eu e tu estarmos aqui (eu escrevendo e tu lendo) já mostra que não usamos a internet simplesmente como ferramenta de pesquisa (isso não vale pra quem encontrou esse texto depois de uma bela pesquisa no Google), afinal a blogosfera é um dos tantos refúgios pra quem tem em seu dia-a-dia um bom espaço para o mundo virtual. Vivemos num mundo paralelo ao real, com amigos virtuais e, em alguns casos, algumas responsabilidades.
Ao mesmo tempo em que tu não sabe o que os teus 'conhecidos virtuais' fazem fora da internet e eles não sabem o que tu faz, grande parte das pessoas que tu encontra todo dia não fazem ideia que tu tem um blog (ou, se fazem, não dão muita importância) e amigos virtuais que, em vez de serem apenas mais um com quem tu joga conversa fora no msn ou em outro meio, já são considerados verdadeiros amigos por ti, com quem tu fica preocupado caso suma de repente e que é capaz de te fazer rir nos teus piores dias, amigos que, às vezes, podem se mostrar mais leais do que muitos com quem tu convive dia-a-dia.
Sim, sim, a internet pode ser perigosa, não nego, mas também não somos completamente tolos pra confiar em qualquer idiota que venha falar conosco. Também não confiamos em qualquer um que se mostre simpático. Mas há aqueles que, antes que se perceba, já conquistaram a tua afeição. Aqueles com quem tu continua a conversar naturalmente depois de muito tempo, aqueles com quem a conversa não 'desgasta'. Amigos que te fazem deixar de lado e esquecer, nem que seja por um tempo, o maior dos problemas, te fazendo rir ridiculamente na frente do computador mesmo quando tu achava que isso seria impossível. Amigos que te dão dicas de livros ou bandas, que confiam em ti sem que tu saiba explicar porquê, que realmente se interessam em saber como tu está e a quem tu não se obriga a responder automaticamente um 'tudo bem' quando tu não se sente nada bem.
Do mesmo modo, existem aqueles idiotas que dão em cima de ti e dão cantadas ridículas. A vantagem é que, no mundo virtual, tu pode rir pela criatura achar que tu cairia num papo tão besta e, com uma desculpa qualquer, terminar o papo e garantir que não vai ser mais obrigada a aturar tal pessoa. Também há aqueles que parecem bons amigos, pelo menos pra jogar o papo fora, mas que se mostram, ou irritantementes metidos ou completamente chatos com suas infinitas lamúrias. É, tal qual o dito mundo real, no virtual também existem os insuportáveis, os falsos e os chatos.
E quando tu vê já juntou os dois mundos: cita amigos virtuais em conversas com os reais ('Um amigo meu isso... Uma amiga minha aquilo...), pensa em conversas tidas no MSN e conta os minutos para ver se alguém específico comentou em tal post, se respondeu um recado ou se está online pra uma boa conversa. Aí então tu passa a programar uma rotina na internet: primeiro esse site, depois aquele, ler tal blog e comentar naquele outro, ah, e não pode esquecer de falar sobre tal coisa com o fulano. Do mesmo modo, chega a um ponto que teu amigo virtual que mora lá do outro lado do país, ou apenas a alguns quilômetros de distância, já sabe tudo sobre teus amigos, quem é quem, quem faz o quê, com quem tu costuma sair e, especialmente, quando tu vai sair e não vai poder entrar na net.
Claro, os que usam a internet apenas pra pesquisar isso ou aquilo não entendem, ou fingem não entender, que o mundo virtual pode ser levado a sério. Não acreditam que uma pessoa qualquer que tu nem conhece pode ser já um grande amigo, ou que aquele teu compromisso de escrever em tal blog em tal dia ou falar com alguém sobre tal projeto virtual é realmente importante de certa forma e tu tem a responsabilidade de cumprir ele. Não entendem que tu não pode simplesmente deixar de se conectar. Não entendem nada disso e te dizem viciado em internet, sem compreender que tu pode viver concomitantemente nos 'dois mundos' sem se tornar um alienado.
Deixemos dizer o que quiserem. Continuemos a rir de paqueradores virtuais toscos e de besteiras com amigos virtuais. Façamos o possível para cumprir com nossas obrigações virtuais, tal como as reais. Seguimos no nosso mundo paralelo incompreendido por alguns e ignoremos as preocupações alheias com a novela. (Sinceramente, deviam se preocupar com novela em excesso e não com a internet, acho eu.) Mantemos o equilibrio entre esses dois mundos e vivemos felizes.
_____________________________
Escrevi esse texto pro Divã sexta-feira. Na falta de capacidade pra escrever algo melhor e não querendo deixar o blog desatualizado até que ela volte, resolvi postar o texto aqui também, mesmo não achando ele grande coisa...

9 comentários:

Mr. Blue disse...

me sinto exatamente igual (mais uma vez...) aheuhaeua

po, é verdade, a internet é um outro mundo dentro do nosso mundo, e mais do que isso, muitas vezes é uma ótima válvula de escape, vc deixa escorrer por ela suas tristezas, aflições e até mesmo suas alegrias. Os mais velhos geralmente não entendem quando eu falo que passo o dia inteiro no computador (não diferente da grande maioria da minha geração), mas na realidade, nem eu entendo, porque eu nem percebo, quando eu menos espero, eu olho pra janela e tá anoitecendo, e tudo o que eu fiz e vivi neste dia (e no outro, e no outro, e no outro...) ficou só na minha memória e na memória dos cookies, memória RAM, memória do Google, memórias e feitos espalhados por bytes e bytes de memória...loucura!

Erica Ferro disse...

Ah! Fez muito bem em postar esse texto. Achei-o muito bom mesmo.
Olha, como eu disse no Divã, mainha e painho deveriam ler isso, rs.
Sei lá, eles implicam demais com esse meu 'vício'.
Ok, eu sei que é um vício, mas não é só vício. Aqui podemos encontrar gente com um coração verdadeiro, que estreita laços, divide alegrias, subtrai tristezas e, sim, VIVEM.
Porque viver não é só no mundo real, há vários tipos de vida...
Mas as pessoas se prendem muito ao convencional...
O que é mais sensato é dividir o nosso tempo de modo igual, ou quase, pra não nos perdemos no virtual e nem no real.
É só saber balancear!

Beijo, Ana.
Poste mais.
Ainda espero aqueeeeele poema, hein?
Aquele que você ainda escreverá e postará aqui, hehe.

Graziela disse...

"Sinceramente, deviam se preocupar com novela em excesso e não com a internet, acho eu." E não só com a novela, mas com o quanto a tv consegue ditar a rotina da população.. novelas, bbb, fantastico, etc.

também tenho amigos virtuais o/
um deles, aliás, eu até já consegui conhecer nesse mundo real,em um show de rock que fomos juntos com um mais uma cambada...
e é realmente engraçado como conseguimos desabafar legal com amigos virtuais...

Maurício Kehrwald disse...

Não tem mais como separar o mundo real do mundo virtual. Desde a GRANDE popularização da internet (2001, 2002) o processo é randômico e irreversível.

Hosana Lemos disse...

tem gente que não entende essa minha mania pelo meu blog...
ele REALMENTE faz parte de mim, é como um flho praticamente!
muuuuito bom o tema o texto, adorei mesmo.


beijos

Marie disse...

Disse tudo Ana. Eu vivo no equilíbrio entre os dois universos e sou muito feliz. Não sei o que seria das palavras em todos os aspectos se não existesse a blogosfera. E sim eu rio compulsivamente em frente ao computador. A louk .hahaha

Sabrina Silva disse...

Adorei o tema, ainda mais eu que tenho amigos virtuais que são bem melhores que os meus amigos reais. Esse seu post, também me fez lembrar de um amigo meu que mora á alguns quilometros da minha cidade, ele é como um "melhor amigo virtual", tem coisas que eu conto pra ele, que não conto pra algumas amigas. A gente se fala faz quase 1 ano, e ainda não tivemos a oportunidade de nos conhecer pessoalmente, mas sabe que ás vezes perde até a vontade de conhece-lo pessoalmente, porque o fato de mim falar SEMPRE com ele pelo msn me dá uma certa dúvida de que ele pode ser diferente na vida real, rs. Enfim .. ótimo texto, como os outros né? Um beijo

Ahh eu refleti muito sobre o que comentou no meu último post, realmente eu não tinha pensando naquilo antes.

Lou disse...

Oi!!!! Adorei o texto, mesmo! :) É muito bom conhecer pessoas novas pela internet, ainda mais se forem inteligentes e interessantes como você. Sempre temos coisas para compartilhar, pensamentos, frases, idéias, e assim, crescemos todos juntos. Concordo que equilíbrio é necessário, por que - ainda que virtualmente as pessoas nos entendam talvez até melhor - nada substitui um carinho, um cafuné e uma conversa olho no olho... e não vale web cam! *risos*

parabéns de novo pelo blog, gostei muito! :)

lou (nova amiga virtual *risos*)

Allyne Araújo disse...

que isso ana?! seu texto ta demais!!!!!! a internet virou mundo fato, pena que esse mundo é tao perto e facil, e ao mesmo tempo tao longe... obrigada pelas visitas viu? desculpas por nao vim tanto, to sem tempo esses dias.. srsrsr beijao e ate logo logo!!!