quarta-feira, 7 de abril de 2010

Por que se calar?

Qual a razão do silâncio súbito? Por que não dizer logo o que se quer dizer? Por que não dizer o que se pensa, o que se faz, o que se sente? Por que esconder isso? Exponha a tua ideia. Faça uma declaração de amor ou de ódio. Reclame do que tu acha que pode melhorar. Cante. Grite. FALE. Não posso adivinhar a razão do teu silêncio, não posso ler teus pensamentos, nem eu, nem ninguém.
Enquanto tantos por aí deviam calar suas bocas, que falam coisas que não interessam a ninguém e são grandes idiotices, por que se calar quando há algo a ser dito? Por que deixar que as pessoas apenas suponham e jamais tenham certeza do que se passa na tua cabeça? Como saber quem realmente tu é se tu não fala, não expõe tuas opiniões, não mostra que tu não é igual a todo mundo?
Não pense que falar de música, literatura, criticar o mundo ou fazer de tudo uma grande piada é um modo de mostrar a si mesmo, não é. Mostre tuas preferências, reclame, mas faça isso de um modo pessoal, não automático, não de uma maneira que faça com que os outros achem que tu é apenas mais um.
Será o medo que te faz calar? O medo da rejeição, o medo do erro? O medo é um grande mentiroso, nos deixa ignorar boas oportunidades, nos faz esquecer coisas que poderiam nos marcar pra sempre, nos faz perder grandes vitórias. Se acho tua opinião importante, como poderei saber qual é ela se tu simplesmente te cala, some, vê tudo a distância? Como tu pode ter certeza do que eu direi sobre ti e tuas opiniões se tu nem sequer me dá chance?
É lamentável ver que alguém tem algo a dizer e não diz, foge das oportunidades, ignora tudo que está relacionado. Se quer dizer, diga. Não tente adivinhar a reação dos outros, os outros que se explodam, apenas diga o que quer dizer. Faça mil e uma declarações de amor, reclame de todo o mundo, exponha teus melhores e piores sentimentos, diga e escreva o que bem entende, desde que isso te liberte desse teu terrível medo de ser rejeitado. Opiniões são opiniões, sentimentos são sentimentos. Opiniões e sentimentos diferem de um pra outro, eis a graça da humanidade, então não tente escondê-los por simples temor. Arrisque dizer, talvez os resultados não sejam tão ruins quanto tu imagina.
___________________________________
Tenho a impressão de que muitos só deram atenção ao vídeo do Engenheiros no último post, e isso me faz ficar arrependida de ter posto um vídeo deles, por dois motivos: 1. Eu realmente os vejo como uma banda gaúcha, e não como uma banda clássica dos anos 80, apesar deles terem estourado nessa época. 2. Queria realmente que tivessem reparado em Blitz, Ritchie e RPM, marcos da década, Paralamas foi só uma opção que me surgiu no momento e Engenheiros... bem, não sei bem porque coloquei eles, talvez por ser uma banda gaúcha conhecida... Mas enfim, podia ter posto outra banda... Não, não pensem que eu não gosto de Engenheiros, até porque se não gostasse não tinha colocado, eu apenas gosto de mostrar bandas que de tão admiradas fazem com que seus fãs esqueçam todo o resto e deem enfoque apenas a pequena citação referente a banda...
Bom, não se se me fiz entender, acho que não, já que nem eu me entendi, mas enfim, vamos deixar assim. Ah, sim, depois de insistirem muito, deixei de lado minha antipatia pessoal ao twitter e me juntei a todo o resto do mundo: @AnaSeerig

6 comentários:

Rosângela Cunha disse...

Tem gente que cala por que
carrega consigo a maldita
hipocrisia, e quando fala
não mostra o que realmente
é de verdade, esses a quem
classifico de mascarados.
Eu não, mostro a minha cara,
a minha fala do jeito que
sinto. Sei que isso causa
incomôdo, mas eu não sei
ser de outra forma, falo
mesmo! Acredito que essa
seja a melhor maneira de
VIVER. Adorei o texto!

Taw disse...

hum... para mim, não se expor é uma forma de fazê-lo.

é como eu penso.

Erica Ferro disse...

Que tapa na cara tu me deste agora, hein?
Cacilda, que texto mais 'violento'. Me lascou de porrada. Eu sou uma merda no quesito 'falar'. Não do que eu penso das coisas, dos meus gostos e opiniões. Me refiro a falar dos meus sentimentos amorosos. Morro, mas não me declaro nem a pau.
Dou indiretas, fico fazendo sinais de fumaça; sou quase clara, mas não confirmo nada. E deveria confirmar.
Mas eu tenho medo. Será que isso um dia vai mudar?

E eita, eu reparei nas outras bandas, sim, tá?
É que eu sou doida. Quer dizer, estou doida por Engenheiros e PIREI quando vi eles no teu post.
Mas também gosto de Paralamas, RPM (conheço algumas músicas, inclusive a do post); só não conhecia essa outra aí, Ritchie. Ah, e Blitz já tinha escutado falar e tal... E sei da música 'eu me amo, não vivo sem mim...', algo assim.
Bem, é isso. Falei demais. Mas enfim, segui seu conselho, né? FALAR. hasuhasuhs

Beijo.

Leon K. Nunes disse...

Olha, antes de qualquer coisa te comunico que conheci teu blog a partir do post de aniversário que a Erica lhe ofereceu, e embora tu tenha comentado que está se tornando previsível, esse post bem denota que não, não está.

Eu penso que hoje estamos dissimulados demais, por uma pretensa necessidade de convivência. Hoje, há uma repressão à liberdade de expressão no sentido estrito da palavra. Não me refiro a proibições de falar mal do governo ou algo assim... refiro-me a expressar pensamentos críticos à lógica dominante. Por exemplo: vai numa comunidade de orkut e questiona o discurso de alguém. A primeira coisa que farão em defesa própria deveria ser contraargumentar a sua tese, mas não; elas se resguardarão no papo de que "devemos respeitar a opinião alheia". Consensua-se que cada um tem a sua opinião e pronto, o debate morre - a ponto de as opiniões sequer precisarem ser ditas. É uma ditadura às avessas, que parte de nós mesmos, de uma padronização cerebral que afeta as pessoas de uma carga limitada de senso crítico. Diz Lobão que no país da fofoca, ter opinião é tabu. Não poderia estar mais certo...

Olha, e quanto às bandas dos anos 80, são muito boas essas que postasse. Os Paralamas são espetaculares. RPM e Engenheiros então, não tem nem o que dizer... tenho todos os discos desses dois últimos. São de uma maestria instrumental e literária incrível... Blitz tem lá a sua importância, mas eu não tenho senso de humor suficiente pra ouví-los por mais de três minutos, e Ritche não sei nem quem é (irônico).

Sou blog é... legal (perdoe meu vocabulário fraco, o blog merecia adjetivo melhor). Saudações.

Leon K. Nunes disse...

hum... para mim, não se expor é uma forma de fazê-lo.

rs... superconveniente...

Maurício Kehrwald disse...

Xuxu... é que os vídeos que tu colocou foi tipo assim... colocar um Ouro Branco da Lacta e 3 bolinhas de cocô de cachorro...

O pessoal meio que vai preferir o bombom...