domingo, 15 de agosto de 2010

Domingo

Meio-dia. De acordo com a estação meteorológica da RBS, a temperatura em Caxias é 6°C, com sensação térmica de 5°C. Grande coisa. E eu ainda tive que ouvir no Jornal Nacional ontem que, em algum canto do país, as pessoas sofreram com o frio de 11°C. Imagino como devem ter sofrido. Digam que sofrem com o frio quando o termômetro marcar 5°C e estiver ventando terrivelmente. Aí sim reclamem do frio. Essa semana que passou teve uns dias assim. Ah, maldita semana.
Realmente minha semana não foi das melhores. Durante três dias mal parei em casa. Por quê? Porque eu me meto em coisas, quando as pessoas não fazem isso por mim. Três dias andando pra lá e pra cá. Na quarta cheguei ao ponto de ir dormir às 21hs de tão podre que estava, e continuei podre na quinta, acordando lá pelo meio-dia, mesmo que tivesse subido o terrível morro da CIC às 8hs (ignoremos o fato de que Caxias é cheia de morros e que é difícil andar uma quadra sem descer ou subir um). Teria ido dormir cedo também na quinta, antes das 21hs até, se não fosse o jogo do Grêmio (que era cedo, caso contrário eu não teria aguentado). Na sexta meu nível mental estava tão baixo que passei a manhã cantando "If you leave me now", do Chicago, enquanto a Rubs achava que eu era uma péssima cantora (o que de fato sou) por achar que eu tava cantando "Please, don't go" do KC & The Sunshine Band.
Domingo, 12:25. Tô aqui tentando lembrar qual foi o último grande churrasco lá no campo. Não, nunca foi meu programa favorito. Aliás, eu até evito o churrasco anual de um contraparente que eu não vou muito com a cara. Tudo bem que, na maioria das vezes, eu não conheço metade dos convidados, apesar de saber que eles devem ter um grau de parentesco com a minha pessoa (minha mãe deve ter uma centena de primos, eu reconheço meia-dúzia), mas é legal ver aquelas rodas de música, em que alguém pega uma gaita, outro um violão e alguém desenterra uma bela música gaúcha e canta. Meu conhecimento musical tradicionalista tem grande base nesses churrascos, sem eles eu estaria limitada a José Mendes e outros CDs que circulam por aqui. Ah, que mentira, eu escuto as músicas cantadas, mas meu conhecimento ainda se limita aos CDs de casa. É, está aí algo que tinha que fazer: parar e escutar todas as músicas que meu tio e meu irmão me fazem baixar, de Mano Lima a... Como é o nome dos caras? Ah sim, Cesar Oliveira e Rogério Melo. Ou não. Eu devia era baixar outras do Mario Barbará, isso sim, e parar de ouvir só "Desgarrados". É, farei isso.
Falar em música gaúcha me lembra da Jennifer e sua cara de espanto quando, um mês atrás, me viu cantar "O vento" dos Monarcas. Tenho certeza que ela achou que eu tava bêbada. Na boa, esse papo de Polar tá fazendo com que minha fama vá pro lixo de vez. Depois de acharem que eu não pegava uma Polar por timidez ou sei lá ("Vai lá, pega uma cerveja. Fica a vontade. Vai lá, vai! Pega uma Polar lá pra ti! Pega lá, PEGA!"), as pessoas estão começando a pôr a culpa do seu alcoolismo em mim. Quer dizer, não mandei ninguém pegar chocolate quente com conhaque, beber cerveja e martini, mandei? Não, acho que não, então não me culpe por não se lembrar de ter insistido na 3ª cerveja e nem por tudo que tu jogou da cama quando chegou em casa, não me responsabilizo por qualquer trabalho amassado em montes de livros jogados pelo quarto. Tudo que digo sobre é: pela empolgação com a música "Passo do elefantinho", na versão sessentista do Trio Esperança, fico realmente feliz que tu conseguiu subir as escadas.
Brincadeiras à parte sobre o final da noite de sábado passado (no qual eu teria bebido mais se soubesse a semana que me aguardava), sábado em que eu e Ferro fizemos algo grotesto via msn, chamado de poema ou poesia ou sei lá o quê, tiramos o maior sarro, rimos aos montes, em uma hora e que, ao que parece, agradou a quem leu (fico feliz por, pelo menos, o Ander ter sido realista e dito que ficou uma droga). Apesar de, toda vez que leio aquilo, dizer: "Que merda!", fico feliz que alguém realmente tenha achado interessante, apesar de não entender porquê. Ao que parece, aquelas palavras amontoadas fazem mais sentido pra quem leu do que pra quem escreveu, mas, dizem, essa é a intenção dos versos: fazer sentido pra quem os lê, então beleza.
Domingo. Outra semana começa. E eu tô com uma vontade terrível de passar todas as tardes dela jogada no sofá ou perto da lareira vendo um filme qualquer. Aliás, fiquei com vontade de ver Grease, pela milésima vez. Acho que era isso que fazíamos uns dez anos atrás aqui em casa. Domingo, frio, nada de útil na TV? Pega lá a fita d'Os tempos na brilhantina e vamos ver. E ia toda a família se amontoar na sala e rebubinar a fita. Aí era um esperando pela corrida e, antes, "Grease lightin", enquanto as outras se interessavam pelas partes meigas do filme. Óbvio que todo mundo já sabe de cor e salteado o filme, eu especialmente, mas é sempre bom rever. Se a sala estivesse vazia, era meu pai que a ocupava. Escolhia um CD (com sorte, Creedence, Bee Gees ou Simon & Garfunkel... com azar, algum que ele só ouvia uma música mil vezes) e colocava a todo volume, enquanto tomava Polar (é, quem herda não rouba).
É, hoje em dia percebo que não é algo comum ser criada vendo Grease e ouvindo Creedence, entendo porque, quando pequena, eu parecia falar grego quando o assunto era música (quantas gurias de 10 anos ouvem Jovem Guarda, mais especificamente, Roberto Carlos? não muitas). Ainda hoje fico espantada (não tanto quanto antigamente) ao perceber que as pessoas não conhecem Creedence ou outra banda qualquer. A mesma revolta que senti ao perceber que as pessoas não sabiam que "Negro gato" era do Roberto Carlos e não de um funkeiro qualquer, me indigna ao ver que há quem ache que "Amigo punk" é do Wander Wildner. É fato conhecido (até demais, em alguns casos) que eu adoro Wander Wildner, mas por favor, "Amigo punk" é do Graforréia. Isso, isso, GRA-FOR-RÉ-IA XI-LAR-MÔ-NI-CA.
Mas as pessoas se superam. Outro dia minha irmã chegou e disse: Um cara assim, assim disse que te conhece lá do Vagão. Milagrosamente, lembro quem é o bendito, mas falei com ele 10 minutos, não mais que isso, como ele sai por ai dizendo que me conhece? É assim que acaba que todo mundo vem e diz que fulado me conhece, faço meu cérebro pifar inutilmente pra lembrar do fulano, me mostram o fulano e eu não nego a conclusão: não conheço. Ah, mas peraí, sei porque lembro do bendito.
Cenário: Vagão Bar, depois do show do Graforréia Xilarmônica, eu com a camisa do Creedence.
Bendito: Legal o show, hein?
Ana: Aham.
Bendito: Eu só conhecia "Amigo punk", mas foi legal.
Ana: Aham. É a mais conhecida deles. O Wander Wildner gravou no último CD dele.
Bendito: Mas não é do Wander?
Ana (abismada com o que acaba de ouvir): Não.
Bendito (depois de um silêncio que pareceu longo pra mim que tentava entender como alguém vai no show do Graforréia sem ao menos saber que "Amigo Punk" é deles): Que banda é na tua camiseta?... Ah, Creedence... De longe parecia uma de metal...
E ai ele começou a falar sobre a vinda do Creedence pro Brasil e blablablá. Quando eu percebi que a conversa ia realmente ficar inútil (música ainda é suportável, mesmo que a ignorância dele seja espantosa) e se arrastaria pra cantadas ruins, me mandei. Nunca mais pensei na criatura até minha irmã me fazer desenterrar isso da memória. Narrei a ela a baita conversa que tive com ele (depois da qual, ao que parece, ficamos tão amigos que ele sai dizendo por ai que me conhece) e ela ainda me diz: "Creedence? Eu bem que estranhei quando ele disse que tu tava com uma camiseta de metal". É, as pessoas se superam. Mas um dia ainda entendo como uma camiseta do Creedence pode lembrar uma de metal...
Ah, é domingo. Faz um tempo já que meus domingos se limitam a "dia de jogo" e minha resposta pra convites de saída no domingo é "Não posso, tem jogo". É, o futebol estraga vidas, especialmente quando o teu time te faz rir das jogadas bestas pra ti não chorar por todas as consequências delas. É, meus domingos já foram mais interessantes. Podia dizer que meu verdadeiro interesse por futebol começou há uns 5 ou 6 anos, ou culpar meu pai por me fazer preencher tabelas de futebol, mas isso não explicaria o fato de meu tio se achar na obrigação de me levar ao Jaconi pra ver Ju x Grêmio (na torcida do Ju, antes o time do interior, dizia ele) com 8 anos e me dar uma camisa do Grêmio, coisa que ele não fez nem com meu irmão. É, acho que sempre tive um interesse por futebol, apesar de só tê-lo levado a sério a pouco tempo, para a tristeza e preocupação da família. Apesar de me fazer preencher tabelas, meu pai nunca achou muito bonito a filha mais nova se meter a gostar de futebol, especialmente por temer que eu me metesse a jogar profissionalmente (coisa que nunca me passou pela cabeça, mesmo que dois ou três colegas do fundamental tivessem a capacidade de dizer que eu jogava bem) e, isso ele ainda teme, arrumasse um jogador bem babaca como namorado. Tudo bem que eu não sou a pessoa mais certa da família (o contrário, talvez), mas eu não tããão demente.
Tá, é domingo, amanhã é segunda (sim, eu sei, sou um gênio). Amanhã ao meio dia estarei, tenho certeza, ouvindo histórias sobre mim mesma. Ou melhor, teorias sobre o meu relacionamento com algum amigo meu. É, as pessoas não são previsíveis. Imprevisível é o que será dito. É incrível como as pessoas adoram especular minha vida. Ou especulam, ou contam histórias sobre mim que eu não lembro. As pessoas adoram fazer isso. Quando penso que já ouvi todas, lá vem alguém com uma nova. Vou começar a anotá-las, daqui uns tempos publico um livro chamado "Memórias que não me lembro", sucesso certo.
O que diabos eu tô escrevendo ainda? Vou fazer algo útil. Ou não. De qualquer modo, ainda tenho umas horas antes do jogo. Ah, domingo, domingo. Sem churrasco, sem Grease, sem isso, sem aquilo. Agora meu domingo se limita a futebol. Eis o declínio da vida de uma pessoa...

___________________________

Sobre o poema com a Ferro e os comentários que renderam, aqui e lá, estou sempre disponível pra todos os malucos interessados em fazer um post conjunto, mas digo: poemas não mais. Sejamos sinceros, não tenho talento pra isso, pra não dizer mais.

De última hora: A @ericona superou suas alucinações e propôs que eu fizesse uma twitcam. Tenho tanta fé no sucesso dessa campanha dela que, com meia dúzia de votos, eu faço uma domingo que vem. Sem horário previsto. Sem assunto. Na boa, não sei o que a Ferro espera que eu diga numa twitcam, já disse que não danço o rebolation e nem toco pandeiro. Sem tempo limite, 5 minutos ou 50, depende do 'sucesso'. Óbvio que eu não tô nem um pouco a fim de fazer isso, só quero provar pra Erica que essa campanha dela não tem fundamento. Mas se mais cinco votarem eu faço, só pra provar pra ela que vai ser um desastre. Além de ter a certeza que eu estava certa, eu também ganho uma Polar, ou melhor, deixo de dever uma pra ela. Ou, a menos que ela esteja certa e eu errada, o que duvido muito, eu faço fiasco online e devo mais uma cerveja. Ah, sim, parte do acordo, estipulado por ela: apenas falo, não digito. Votos por aqui e pelo twitter. (Ferro, prepare-se pra desilusão)

Depois da última hora: De alguma maneira, a Ferro fez com que alguns desconhecidos votassem e conseguiu os seis votos (somando o daqui com os do twitter). Como não falei antes que tinham que ser votos de quem me conhecesse, vou considerar. Farei a dita twitcam e será um fracasso e eu vencerei. Resolvido. Em algum horário de domingo. Alias, durante os jogos das 16hs, assim tenho certeza de que alguns não verão isso. Só vão ver aqueles que não tem mais o que fazer domingo direito. Como disse, farei só pra desiludir a Erica, ISSO me deixa feliz. Não há possibilidade de ser um sucesso, então não haverá repeteco e Erica não me atormentará mais. Mas ainda votem aqui, pra mim ter certeza de que foram 6 votos... (@AnaSeerig)

[16/08 - 18:45] Definido: twitcam dia 22/08, domingo, às 19hs (apesar de eu querer que fosse durante o jogo). Se não tiverem mais o que fazer, vejam. Se arrependerão, certamente. Propaganda ficará por conta da Ferro, me nego a anunciar isso. E se ela, depois de manipular meio mundo, ganhar, eu não aposto mais Polar com ela.

13 comentários:

Pensamentos Devaneantes disse...

Seerig, MEU AMOR, você é um sucesso. O povo te ama SEM VER DO QUÊ. Enfim, entenda que você é AWESOME e pronto, seja feliz.

E eu não vou fracassar, hein? Teremos milhões de votos CLAMANDO pra você fazer uma twitcam. Ok, milhões não, mas um bocadinho, hehe.

E meu voto é...
...
...
SIM! Eu quero que a @AnaSeerig faça uma twitcam.

Nossa, meu voto foi imprevisível, hein?
SOU DEMAIS!

Beeeijo, Seerig.

E eu recuso convites por causa do futebol também. E a culpa é tua. Obrigada.

(Erica Ferro)

Melancia disse...

Se meu voto vale, eu estou votando! :) Faz siiim :) [agora só falta 4]

enfim, enfim

que domingo mais domingo.
adoro frio, iria adorar ai :)
mas aqui nunca chegou a tanto, ou a menos, melhor dizendo.

e sim, eu gostei do poema mesmo. qwouqouwqouwoquowuoquwoquwoqwouq!
você deveria continuar, mas enfim.
o seu lado descritivo também é ótimo :)

boa semana!
beijos, ♥

Daninha disse...

Domingos endomingados
ospakspasopk'
Obrigada por passar no meu blog (:
Beijos

Vitória Kubitz disse...

Eu voto! o/
HDIUSAHIUDHD
Sacanagem com você,hein?
Todo mundo votando, vamos lá!

Cadinho RoCo disse...

Pois acrdito no sucesso da proposta vinda da Ferro e por isso prepare-se para pagar a Polar.
Cadinho RoCo

Amanda Arrais disse...

Achei engraçado o que tu falaste da infância porque comigo aconteceu o mesmo. Quando eu tinha de uns 7 até os 10 e depois, SEMPRE ia pro carro ouvindo Maria Bethânia e John Lennon. Agradeço minha mãe eternamente por isso. \o/

=* É bom ser diferente.

Erica Vittorazzi disse...

Ana Seering, que legal te encontrar.

Aqui em minha cidade, onde o inverno gira em torno dos 25 graus, reclamamos do frio quando está 20 graus. É muito engraçado, com esta temperatura as pessoas já saem de botas, cachecois e muitas blusas de frio... :)

Domingo para mim, também é dia de jogo. Do Corinthians. Também tenho um tal fanatismo por futebol, mas não culpo meu pai. Culpo o Corinthians mesmo.

Desculpa, mas eu não conheço os cantores do Sul, mas acho lindo estra tradição que vocês têm e mantém viva. É de invejar.

Beijos

ah, também estou votando pelo sim!

Sua melhor amiga disse...

logo logo o frio vai passar, aí poderemos sair de mini saia e piercing de cascata no umbigo.


prazer em conhecê-la

Allyne Araújo disse...

rsrsrs.. ja sou fã tua de verdade, entao chega de elogios baratos... bem o teu texto ta gradao, mas eu acho q sei lá vc precisa escrever tudo isso pra poder chegar até onde quer.. embora vc diga q tenha falado besteira eu digo q tem algo interessante ai no meio... depois a gente discute o que é... beijoooooo e fica bem!!!!!!!!!

Debbys disse...

menina, vc escreve hein!!! kakakakaka.. na verdade acho mt válido quando o post é grande.. assim vemos quem realmente aguenta ler nossas histórias! Adoro Grease... já fiz um "filme" na escola imitando um pouco a história... mt legal! xD
Churrasco é bom, mas creio que um gaúcho seja bem melhor...hhuAHAUHAUAHuahua.. ^^
gostei mt do teu blog!! xD
bjinhus

Natália disse...

Vão sofrer quando o termometro apontar 5ºC e a sensação for de temperaturas negativas.
Tem gente que chora de barriga cheia mesmo. bj

Jeniffer Yara disse...

AA muito bom seu texto,domingos sempre rotineiros,rs.
Muito bom seu modo de escrever,seu blog *.*
Obrigado pela visita lá no blog.
Beijos.

Mr. Blue disse...

Descobrindo o lado bebum da Ana nesse texto, hein... #jeremiasmuito loucofeelings

e eu reitero q ainda preciso experimentar essa Polar ainda na minha vida!

Ah, tbm sou um E.T. qndo falo de música com as outras pessoas. Triste. Mas uma coisa é certa: funkeiros teem o dom de destruir músicas e emburrecer ainda mais o senso musical da galera. Por exemplo: fikei puto qndo se surpreenderam de maneira histérica pq eu disse q akele funk babaca q tem o refrão "vai rolar um adultério..." na vdd era a sonoridade da música "Tédio" do Biquini Cavadão (boa música, boa banda, aliás)!

E creedence lembrar metal de longe? Q papinho mais sem vergonha desse jumento aí hein? Ele merece é uma barra de metal na testa depois dessa...

po, e como só vi seu post hoje, no domingo do dia 29, então perdi a twitcam do ultimo domingo??! xD

Aliás, falando em domingo, e pra finalizar o meu comentário, peço licença aos Titãs para relembrar aquela bela canção acerca deste dia tão nefasto: "domingo eu quero ver o domingo passar, domingo eu quero ver o domingo acabar"! Eles disseram tudo o que eu sinto em todo domingo nesta música. Axo q todos os dias em q eu já pensei em me matar nesta vida foram num domingo... shit day