sábado, 25 de dezembro de 2010

Minha mensagem edificante de Natal

Ah, que bonito, é Natal! As lojas já o anunciavam há uns dois meses e hoje finalmente podemos dizer: "É Natal!". No último mês, especialmente na última semana, todos compraram presentes pra todos, presentes esses que estão sendo entregues desde ontem, apesar de hoje ser Natal. Ah, e que beleza, na hora de comprar não há mais aquela preocupação em agradar, se o presente não agradar basta ir na loja e trocar. Tudo é tão mais simples hoje! E tão menos tedioso! Houve um tempo, creio, em que Natal era pra fazer aquele jantarzinho meigo com a família e tirar aquela foto com todo mundo sorrindo e se abraçando, mesmo sem conhecer metade daqueles ditos parentes. E hoje? Ah, vamos beber! E eis a beleza da véspera de Natal: tu bebes à vontade e no outro dia ficas de ressaca sem problema, afinal é feriado. Provavelmente é essa a razão de não comemorarem o Natal no Natal, dia 26 não é feriado e nem sempre cai num domingo...
Mas o mais bonito é que, nessas festinhas natalinas, temos o ápice do amor mútuo de fim de ano. Sim, no fim do ano todo mundo começa a se abraçar e desejar isso e aquilo e ah! como eu gosto de ti! Todo mundo sai repetindo votos pra todo mundo, mesmo pr'aqueles em cuja a cara não olhou o ano todo. Mas é bonito! Esse é o momento de olhar pra cara de todo mundo e fazer declarações de simpatia e amor! (Fingindo não saber que no ano seguinte continuará sem falar com aquela pessoa que tanto abraçou.) E, como disse, no Natal temos o ápice de todo esse amor: liga-se pra parentes e amigos que estão longe, jura-se amizade eterna a quem conheceu meses atrás (e fingindo não lembrar daquele ser pra quem ligou no Natal passado e a quem fez as mesmas promessas, mas que, durante o ano, não se esforçou pra torná-las reais) e, óbvio, dá-se presentes pra todos, mesmo para aqueles cuja verdadeira afeição extinguiu, apenas por mania, tradição.
Ah, o Natal é tão bonito! Acho que esse é o momento então de dizer: Feliz Natal meus caros leitores, muita paz, harmonia, esperança, sucesso e, claro, saúde pra vocês. Adoraria dar um presente pra cada um, mas sabe, a grana é curta... (Natal=fé=Deus=oração="Senhor vou lhe falar, nunca pedi assim, sempre rezei pros outros, mas dessa vez é pra mim. Perdi tudo que eu tinha, sei que fiz muita besteira, mas se você não achar meu bolso, Deus, por favor coloque na carteira")

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Não. Nada de Feliz Natal pra ninguém. Nem pra ti, meu amigo de anos, ou pra ti que fica horas conversando fiado comigo, ou pra ti que vem sempre aqui ler, ou pra ti que me manda cartas há dois anos, nem pra tua família também. Sem Feliz Natal ou Ano Novo pra ninguém, sem votos de felicidade e blablablá. Nem mesmo sabendo que tu realmente me aturas, me ajuda quando preciso, ri comigo, me faz rir quando eu não tô no melhor dos humores, me explica pacientemente que eu não devo ser tão detalhista, me dá boas dicas musicais, elogia os meus gostos musicais ou litarários... Enfim, pra ti, que já tenho como amigo (virtual ou não), o que tenho a te dizer, e não desejar, é:

Faça. Seja. Diga. Em qualquer hora. Não espere o Natal pra se importar com alguém e nem o Ano Novo pra repensar tua vida. Não pense que um presente é melhor que um abraço (e reparem que, quem está escrevendo isso, é alguém cujo hobby é fugir de abraços, salvo um ou outro) ou que palavras e cartões com votos de um mundo melhor são melhores que sentimentos verdadeiros, mesmo que não anunciados verbalmente sempre. Também não espere essas festinhas de fim de ano pra tomar um porre, faça isso quando quiser, quando sentir felicidade extrema ou uma tristeza aparentemente sem fim. Não perca tempo descobrindo o significado das cores pra virar o ano, apenas decida o que realmente quer, não para o próximo ano, mas pra tua vida. Sucesso? Lute por ele. Paz? Faça a tua parte. Amor? Seja você mesmo. Esperança? Nunca duvide de ti. Dinheiro? Faça por merecê-lo. Pare de se importar com o que os outros dizem, seja um pouco egocêntrico e pense em ti primeiro, na tua felicidade, na tua consciência. Não, não seja o dono do mundo, não ignore os outros, seja feliz concomitantemente com os outros. Não sacrifique algo que tu queres muito apenas pelo outro, mas também não deixes de fazer pequenos sacrifícios para colocar um sorriso no rosto de alguém. Viva. Simples assim: viva. Faça o que quiser. Seja quem quiser. Diga o que quiser. Sejas tu mesmo.

6 comentários:

Erica Ferro disse...

Textão (de bom)!
Não sei se vou ter condições de falar algo inteligente e lógico agora. O Natal ainda "está em mim".
Veja bem, eu compartilho das suas ideias também, mas, sabe como é, as convenções... Apesar de não gostar delas e fugir de muitas convenções, me vejo "obrigada" a participar.
E mesmo que esse espírito natalino soe falso, é bom estar junto com a família, nesse clima de "paz e amor e muita cerveja". Embora pense que as pessoas precisam se encontrar mais, festejar mais, em qualquer dia do mês. Mas... já que elas só lembram que se amam, ou fingem amar (risos imensos) no Natal, tudo bem, não é? Talvez um dia isso mude. Porém, analisando o andar da carruagem, as coisas só tendem a pior a cada dia. Oh yeah... Trágico, trágico.

Enfim, o que é estou dizendo mesmo?
Sabe-se lá, nem sei mais o que digo.
Mas, como disse, texto muito bom, uma bela reflexão para quem lê.

Feliz sábado, Seerig! :D
Feliz todos os dias. ;)

=*

Babizinha disse...

Feliz dia 26!

Concordo com quase tudo com o que você disse. E foi como Erica disse: "e mesmo que esse espírito natalino soe falso, é bom estar junto com a família".

Como lancei no twitter: "eu parei de pedir e comecei a agradecer." Talvez, devêssemos a partir desse princípio, que por mais um ano com perrengues ou não, estamos vivos para iniciar mais um ano. E parar de contabilizar as perdas e, sim, os ganhos; aprender a superar aquilo que foi. Definitivamente o ano não acabou então ainda espero que muita coisa aconteça – quase que sonhadora e tola demais, mas nos permitir isso com doses de razão a todo instante faz bem.

Ótima reflexão!
Beijos
:*

Natália disse...

Temos que viver sem se importar com a opinião alheia. Beijo

Rebeca Postigo disse...

Texto recheado de verdades...
Amei!!!
Realmente deixamos de fazer determinadas coisas por medo...
Não devemos esperar...

Bjs

VaneZa disse...

Concordo em número, gênero e grau... as pessoas prometem pra outros e pra si mesmos tantas coisas e não cumprem nem um décimo. O pior pra na minha opinião é a galera que só resolve fazer caridade nessa época. Ah! Povu hipócrita do cão. rs

BeijoZzz... e te desejo o mesmo em dobro.

Bittencourt disse...

Cara, essa certamente foi a melhor mensagem de Natal que eu vi esse ano. Ok... meio atrasado, pq eu tava viajando.

Mas, concordo contigo em tudo, e em 2011 vou fazer minha parte pra cumprir tudo isso que você sabiamente citou no seu texto. Chega de promessinhas clichês e essa mudança de ciclo forçada. Vamos ver como será 2011!

Enfim, desejo pra você o mesmo, e espero termos mais conversas sobre como você é detalhista demais esse ano! =D

Excelente 2011, Aninha.