sábado, 19 de março de 2011

19/03

Faz tempo que não falo em aniversários por aqui, então nada melhor do que voltar à velha mania com um antigo ídolo: Bruce Willis, que, através do meu caríssimo Blueman, descobri que, além de um baita ator, é um excelente músico (peloamordedeus clique aqui). Peraí, não fuja minha cara amiga blogueira, tu tá achando que Bruce Willis faz aqueles filmes de ação trash, com porrada e tal? Não, não é, então faça o favor de continuar lendo.
Como os tradicionais posts de aniversário, uma pequena biografia: Bruce Willis nasceu em 19/03/1955 (faz hoje, portanto, 56 anos), em solo alemão, mas naturalizando-se estudianense, já que logo seus pais (pai americano, mãe alemã) se mudaram para os Estados Unidos. Seu grande sucesso, e que foi um marco revolucionário nos filmes de ação, foi Duro de Matar, de 1988, em que interpretou John McClane e que fez tamanho sucesso que se seguiram 3 filmes a este. Mas como meu intuito aqui é fazer uma mistureba boa, de aniversário com lista de 5, cá paro a biografia e sugiro que visitem o maravilhoso mundo da Wikipédia que vale a pena ler mais, especialmente se eu não convencer a vós, querida blogueira que adora boas comédias românticas (aliás, somos duas), que não existe cara que seja mais admirável que Bruce Willis (e não digo isso por ele ser alemão - fiquei sabendo depois do vício criado - ou por ele ser lindo, fofo, querido e blablablá - meus caros amigos, creiam-me, não assisto um filme pela aparência do ator, mas convenhamos, não posso dizer que o Bruce Willis tem apenas o talento admirável).
Antes da 1 lista com 5 filmes do meu querido Bruce, vamos a como descobri-o. CLARO que eu o conhecia de nome, aqui em casa vez por outra falavam nele, mas só quando parei pra ver o Duro de Matar 3, na extinta sessão das Oito e Meia do SBT (e na época que começa às 20h30 - perceba então que faz eras isso), é que eu fiquei maravilhada. Na boa, não existe cara como o Bruce Willis. Ação com comédia e, às vezes, um romancezinho, na medida certa. Nada de pancadaria, nada de "eu sou um valentão e quebro todo mundo aqui". Ação com cérebro. Corri pra ver toda a série e, bem, não existe série que se compare a Duro de Matar, nem mesmo Máquina Mortífera (afinal, depois do primeiro, o Riggs fica sociável), pelo simples fato de não existir outro John McClane.
Mas Bruce Willis não é apenas ação, é suspense, é romance, é ficção científica, é comédia, é filme que te faz pensar. Duvida? Vejamos isso já.

Duro de Matar (Die Hard - 1988)

Sinopse: John McClane (Bruce Willis) é um detetive de Nova York que está indo a Los Angeles para se encontrar com sua esposa (Bonnie Bedelia), que trabalha em uma empresa japonesa. Porém, ao chegar no prédio onde ela trabalha, percebe que o edifício está sendo assaltado por um bando de terroristas e decide atrapalhar seus planos para resgatar sua mulher.

É impossível pra mim não falar desse, até porque foi onde surgiu realmente Bruce Willis. O vilão é belamente interpretado por Alan Rickman (o Snape, de Harry Potter) e o desenrolar do filme é excelente. Duas horas passadas rapidamente. E aqui faço uma observação importante: não existe cena de filme de ação que seja mais linda - sim, linda é o adjetivo - do que aquela em que John McClane está entrando escondido pelas escadarias e sai quebrando os pescoços alheios com os joelhos. Não, não há coisa mais querida que essa.
Tá, tu não está me levando a sério. Mas, minha cara amiga blogueira, pense o seguinte: não seria lindo tu ter um marido que invadisse um prédio pra te salvar de terroristas e quebrasse os pescoços alheios assim? Quer dizer, depois de arrumada a praga, que sirva pra algo, eu sei, mas, ah, ele é tão querido com aquela esposa desgraçada (sim, nas sequências do filme mostra-se como ela é uma besta, aliás, todas as mulheres dos personagens do Bruce são completamente criticáveis). E meus queridissimos amigos, John McClane usa o cérebro, não é apenas chute daqui, soco de lá. Todo mundo gosta de John McClane. Impossível não gostar. Vamos ao trailer antes de passar ao próximo da lista.


A morte lhe cai bem (Death becomes her - 1992)

Sinopse: Madeline é uma famosa atriz egocêntrica que rouba o noivo de sua amiga, uma aspirante a escritora. A noiva rejeitada se torna extremamente complexada e gorda, mas dá a volta por cima após 14 anos, quando lança o livro "Eternamente Jovem" e, na noite de autógrafos, está mais linda do que nunca. Ela despertando a atenção de todos, principalmente da atriz que, sentindo-se cada dia mais velha, acaba indo se consultar com uma mulher misteriosa, que tem uma poção da juventude que proporciona resultados inimagináveis. Ao bebê-la ela fica jovem outra vez e descobre que sua rival também é cliente da feiticeira. Inicialmente elas começam a brigar pelo médico, mas logo as duas estão preocupadas e, de certa forma, unidas contra um terrível efeito colateral.

Um filme prestes a completar 20 anos e que trata de um assunto extremamente atual: a busca da beleza, da juventude. As plásticas de hoje em dia não são nada perto da admirável técnica do filme para enganar a morte, e suas cômicas consequências não chegam aos pés das do filme. Uma imensa piada da vaidade humana, perfeito para uma tarde de sábado em que se quer sentar no sofá e descansar com uma inteligente comédia.


O sexto sentido (The sixth sense - 1999)

Sinopse: Menino (Osment) é atormentado por espíritos de adultos e crianças que tiveram mortes horríveis e não consegue dormir à noite. Um psicólogo infantil (Willis) procurará ajudá-lo. Dias antes, o analista levara um tiro de um antigo paciente, que invadira sua casa e ainda estava em estado de choque. A princípio, o psicólogo não acredita no garoto, mas coisas estranhas começam a acontecer. O final é totalmente surpreendente. Filme indicado a seis Oscar - filme, direção, ator coadjuvante (para o menino Haley Joel Osment), roteiro original, atriz coadjuvante (para a australiana Toni Collette, protagonista de O Casamento de Muriel) e montagem.

Esse é da época em que já havia passado o grande auge do Willis e esse filme o reergueu. Esse todo mundo, ao menos, ouviu falar. Confesso que não sou fã de filmes de suspense, mas me obriguei a ver por causa do Bruce Willis, admito, e é excelente. Toda a história é muito bem traçada, com um final surpreendente e com todo o sentido. Ótimo, sem mais. Veja o trailer, mas se tu não te interessar, passe adiante, vamos à um filme-família, a um filme egocêntrico e autoreflexivo.


Duas vidas (The kid - 2000)

Sinopse: Se você tivesse a chance de encontrar consigo mesmo quando tinha 8 anos de idade, será que aquela feliz criança gostaria de ver o que você se tornou quando cresceu? Em se tratando de Russ Duritz, a resposta um ressoante "Não!". Russ (Bruce Willis) tem sua pacata vida como um profissional bem-sucedido virada de cabeça para baixo quando, de forma mágica e inesperada, encontra Rusty, ele mesmo com apenas 8 anos (Spencer Breslin). Rusty um doce e ligeiramente gordo menino que não fica nada feliz ao ver seus sonhos de ser um piloto de avião irem por água abaixo após conhecer sua versão adulta. Porém, o convívio de ambos irá ajudar Russ a relembrar seus sonhos de infância, para que ele possa se tornar o adulto que sonhava ser quando criança.

Um filme leve, ótimo de se ver e que te faz pensar. Não tem o que dizer mais, é encantador, te faz nostalgico ao mesmo tempo em que tu pára e pensa: e com 40 anos? Como EU vou ser? Absolutamente impossível não gostar, creia-me. Veja o trailer e veja se eu não tenho razão:


Xeque-mate (Lucky number Slevin - 2006)

Sinopse: Slevin Kelevra (Josh Hartnett) está com vários problemas em sua vida. O prédio onde mora foi condenado, sua carteira de identidade foi roubada e ele recentemente flagrou sua namorada na cama com outro homem. Para escapar ao menos por algum tempo dos problemas, ele consegue emprestado com seu amigo Nick Fisher (Sam Jaeger) um apartamento em Nova York. Paralelamente um plano está sendo tramado no submundo do crime de Nova York. Para se vingar da morte de seu filho, o Chefe (Morgan Freeman) planeja um golpe no filho de seu arquiinimigo, o Rabino (Ben Kingsley). O Chefe contrata Goodkat (Bruce Willis) para executar o plano, que consiste em encontrar um apostador que deva muito dinheiro ao Chefe a ponto de aceitar matar o filho do Rabino para se livrar da dívida. O escolhido é Nick Fisher, o que faz com que Goodkat vá até seu apartamento e confunda Slevin com seu alvo. "Xeque-Mate" (Lucky Number Slevin) é um suspense baseado em história em quadrinhos, que retorce o submundo do crime e vingança onde nada parece o que é. O filme é dirigido pelo escocês Paul McGuigan (de "Amor à Flor da Pele", "Os Gangsters"), que volta a trabalhar com Josh Hartnett no papel do nem tão sortudo Slevin do título original.

Um filme de ação que pode facilmente ser confundido com uma imensa confusão e que nos deixa com uma pena desgraçada do Slevin. Oh, gurizinho azarado! Se bem que, admito, é difícil não rir do azar do cara e de suas tosquices. Sim, um filme de ação, mas só se percebe isso com o final espetacular. Sou adoradora de Bruce Willis, e foi realmente difícil escolher apenas cinco filmes, mas eu não poderia deixar um dos filmes mais incríveis que vi de fora. Se tu ver esse filme e não correr pra locadora atrás de outros do Bruce Willis, eu não abro mais minha boca.


E eis ai a minha lista com cinco ótimos filmes. Mas estou aqui me roendo pra um extra e eu não vou conseguir evitar. Especialmente pra ti que adora ficção científica.

Os doze macacos (Twelve monkeys - 1995)

Sinopse: Um solitário viajante do tempo vindo do ano de 2035 deverá resolver um mistério para salvar seu povo, mas isso também poderá leva-ló a loucura. Bruce Willis, Madeleine Stowe e Brad Pitt estrelam esta obra prima da ficção-científica dirigida pelo aclamado Terry Gillian de O Pescador de Ilusões. Após a população do mundo ser devastada por um terrível virus, sobreviventes vivem em comunidade no subsolo. Cole (Willis) é voluntário para viajar no tempo e obter uma amostra pura do virus, para ajudar os cientistas a encontrarem uma cura. Em sua jornada ele cruzará o caminho de uma linda psiquiatra (stowe) e de um incrível doente mental (Pitt). Cole já iniciou sua procura pelo exército dos 12 Macacos, um grupo radical ligado a este virus letal.

Nunca fui fã do Brad Pitt mas, depois que vi esse filme, ele ganhou o meu respeito. Uma ficção científica de primeira: devastação do mundo, viagens no tempo, malucos e tudo mais. Brad Pitty faz caras insanas como poucos e seu personagem, que de início nos parece passageiro, se mostra importante; as viagens no tempo são feitas com muita lógica e a música tema se encaixa de modo espetacular ao filme, do início ao fim.




E depois do extra, acaba mesmo aqui, apesar de haver inúmeros filmes bons do Bruce Willis, a grande maioria, aliás. É por esses e outros que o Bruce Willis é o único ator do qual eu realmente me digo fã. Posso estar fazendo qualquer coisa, se me disserem "Vamos ver um filme do Bruce Willis" eu nem penso pra responder, ao contrário de qualquer outro ator. Brincadeiras do post à parte, eu falo sério quando digo que vale muito ver Bruce Willis atuar. É até difícil crer que ele possa ser um músico igualmente admirável (há tantos sem um talento e ele tem dois, senão outros desconhecidos), mas é fato, então, se ainda não clicou no link láááá de cima, faça isso.

______________________________________________

Ah, e sobre parcerias: acho que nunca disse oficialmente aqui, até porque as parcerias que rolaram até agora foram pura brincadeira, mas como teve gente que levou a sério e acha que é de alguma valia fazer parceria comigo, digo que não as nego. Acho um bocado divertido, mas dificilmente eu vá iniciar a parceria, então se tiver interesse, dá um grito e tenha como aceito o convite. E essa semana estreiei uma nova forma de parceria, da qual eu participei incoscientemente, mas mesmo assim levei créditos. Falo do post de quinta-feira (17/03) no novo blog da minha caríssima Allyne Araújo, o qual foi inspirado em alguma coisa impensada que eu disse no msn e que parece ter sido bem poético... Bom, pelo menos deu um belo post, vale ler.

E até o próximo sábado, povo.

6 comentários:

Balzaquiana com 'Z' disse...

Eu adoro o Bruce... nossa... amo de paixão. Umacoroa desse na minha vida e eu não queria mais nada.

Eu ainda incluiria:

Lágrimas do Sol

e

12 Quadras

E Duas Vidas é o meu queridinho do coração.

BeijoZZz moça bonita.

Allyne Araújo disse...

vc me fez da muita risada lembrando daquele: "a morte lhe cai bem".. Eu perdi as contas de quantas vezes o assistir no sbt! muito bom mesmo! Faltou ai, mas é só minha opinião, o "Amageddon", acho-o lindo demais! Como vc diz ele tem filmes super bons e demais! eu tb o adoro, mas quanto ao "sexto sentido", Jesus! bem, deixo esse para aqueles que sao fissurados em "terror" (só de lembrar das cenas do balão vermelho eu sinto um medo! ui!).. Mas junte entao o quarteto: Bruce Willis,Jet Li, Steven Seagal e Silvestre Stallone que eu tou dentro total!!!! adoro!!!
p.s: "Cabeça dura" (só eu a chamo assim, se alguem for repetir dou um tiro!), vou pensar em algo interessante e ai só depois te grito para gente fazer "outra" parceria (nao vou cair no "erro" de novo, rsrs), e vc as vezes é tao eu que me tira do sério!!! rs. Beijo e te cuida!!!

Rebeca Postigo disse...

Ah...
Vi todos os filmes do Bruce por culpa da minha mãe...
Ela ama os filmes dele...
Dai acabei me encantando também...
Adorei o post, Ana!!!

Bjs

Luna Sanchez disse...

Homem bom esse, né, Ana? Digo, bom em tudo o que faz, pelo jeito.

O tempo passa e o cara só melhora! Sorte a nossa!

Em geral não gosto de filmes de ação, com muitos tiros, facadas e sangue, mas "Duro de Matar" tem humor e charme, o que faz toda a diferença. ;)

Um beijo.

* Quando assisti "O Sexto Sentido", passei semanas dormindo apenas durante o dia, doida de medo...

Balzaquiana com 'Z' disse...

Rá! Voltei só pra falar do Sexto Sentido... porque tinha esquecido... aconteceu comigo o mesmo que aconteceu com a Luna. Normalmente eu não vejo esses filmes porque sei que vou passar uma semana com medo... mas como tinha o Bruce... ai (suspiros).

-Eu vejo gente morta.

-Quando?

-Todo o tempo.

Eu vivo repetindo isso... pareço criança. rs

BeijoZzz

Bittencourt disse...

Ah, vejo que cheguei um pouco atrasado pra comentar esse post, mas ainda assim...

DIE HAAAAAAAAAAAAAAAARD!

Um bom dia a todos.

P.S.: Bruce Willis é foda, e não precisa que eu diga nada sobre ele.