sábado, 23 de abril de 2011

(Atrasado, mas em tempo) 19/04 - 70 anos do Brasa

Eu sei que tem muita gente por aí que não gosta do Roberto Carlos. Sei que muitos de vocês, que vem aqui, fazem parte desse grupo. Mas eu nunca perco a esperança. Desde meus 9/10 anos defendo e tento fazer com que os que compartilham dessa ideia, no mínimo, reconheçam o talento desse cara. E sim, tu leu certo, com meus 10 anos eu não adorava Backstreet Boys ou qualquer outra moda da época, não, eu estava perdida nos anos 60 ouvindo Roberto Carlos. Para se ter uma ideia, naquela época ele veio fazer um show aqui e tanto fiz que meu pai me levou junto. A única pirralha no meio de um monte de senhoras (pra não dizer velhas que fica feio) que nos anos 60 se descabelavam pelo Brasa.
As décadas de 60 e 70 pra mim são as melhores dele, infelizmente uma época que ele parece ignorar em grande parte atualmente, especialmente as minhas favoritas, que também não foram os grandes sucessos de alguns discos. Confesso que não apoio certas manias atuais do Roberto Carlos, ou antes, que estão em maior destaque atualmente, do mesmo modo que não sou grande admiradora dos seus especiais de fim de ano (apesar de assistir sempre, não consigo não ver, mesmo que eu ache ridículas certas participações) mas, apesar de tudo, é o Roberto Carlos, o cara que fez discos que, lançados em CD, fazem parte da minha coleção de intocáveis; discos que me fizeram rir com suas brincadeiras sessentistas; discos que me fizeram imaginar certas situações e ver as coisas de modo diferente; discos que me acalmaram e me acalmam; enfim, ele é o cara que me torna nostálgica, pelo simples fato de ter sido a trilha de anos únicos.
Certo, posso falar e falar, ou melhor, escrever e escrever, e não conseguir explicar claramente porque continuo a adorar esse cara, se bem que com bem menos fanatismo que antes, então talvez consiga convencê-los a esquecer um pouco esse Roberto Carlos cheio de dramas e manias de hoje colocando aqui cinco músicas que me fizeram, na minha infância (na época, nas palavras de hoje, até sofri bullyng por isso, mas tô nem ai), olhar pro cara que muitos, da mesma idade, nem sabiam quem era ou, se sabiam, o viam apenas como um cara brega qualquer. Vamos lá.

Mexerico da Candinha (LP Jovem Guarda, 1965)Sim, a risada dele é extremamente tosca, mas é uma bela música. Há pouco, pelo Almanaque da Jovem Guarda, soube que era uma alusão à uma coluna de fofocas, sem autor fixo, de uma revista da época, a Coluna da Candinha. Enfim, sempre adorei essa. Encontrei agora um vídeo de 1976, com uma versão que vale ser ouvida: esta.



O gênio (LP Roberto Carlos 1966)
A-do-ra-va essa música. E ainda adoro. Eu ainda vou dar ela pros meus alunos, anotem aí.


O sósia (LP Em Ritmo De Aventura,1967)
Ah, essa eu acho que é a música que mais repeti desse disco... E olha que ele tá cheio de músicas que gosto, como "Quando" e... ah, eu adoro esse disco todo!



E por isso eu estou aqui (LP Em ritmo de aventura, 1967)
Tentei, mas não resisti a colocar mais uma desse disco... especialmente porque encontrei o videozinho do filme, o qual eu vi, aliás, em VHS. Foge também da minha intenção de fugir do Roberto Carlos romântico, mas é que ela é tãããão bonitinha.


Vista a roupa meu bem (LP Roberto Carlos 1970)
Aquela que a juventude da época, em sua inocência, transformou em "Tira a roupa meu bem". Mas ah, tão bonitinha.


Caramba, foi difícil isso, acho os anos 60 do Roberto Carlos 100% louvável, sou até suspeita de falar. Não sei se fiz alguém repensar RC, mas fica aqui a lembrança de uma aficcionada, e que ano que vem ninguém morra perto do aniversário dele, dois anos consecutivos já é o suficiente... Aproveito pra relembrar o post de versões de músicas do Roberto Carlos.

Até mais ver, povo.

Um comentário:

Cinderela Descaída disse...

Olha, não sou fã do Roberto Carlos, principalmente nesses últimos anos que ele andou homenageando gordinhas, mulheres de óculos e não sei mais o que, mas essas são realmente bonitinhas, tão inocentes! Até a última, pois o cara quer que ela se vista (estão na praia) e pede para casar! Super pudico.
Boa semana!