domingo, 11 de setembro de 2011

Casos do Romualdo - Simões Lopes Neto

No 4° post desse setembro especial, minha dica literária é de autoria de João Simões Lopes Neto, um dos mais importantes escritores da cultura gaúcha, o qual já citei aqui esse mês. Agradeço já meu querido tio por me trazer às mãos esse baita livro, aliás, acho melhor dedicar todos os posts desse mês à meu tio, afinal ele é responsável direto pelo que me parece pouco conhecimento que tenho e aqui divido.
Simões Lopes Neto, tão carinhosamente citado por Vitor Ramil em Satolep, tem como sua maior personagem Blau Nunes, que aparece em Lendas do Sul e Contos Gauchescos, as duas mais reconhecidas obras de Simões, mas, co
m todo respeito ao Blau Nunes, fico com Romualdo.


Como tão maravilhosamente conta a apresentação da edição que li, Casos do Romualdo foi um real achado. Tido como perdido pela viúva de Simões, dona Velha (ao que parece, ela foi chamada assim desde jovem), os textos foram encontrados numa edição encadernada do jornal que Simões editava, a qual estava no sotão de um operário pelotense. Me desculpem pela falta de nomes e detalhes, mas o livro escapou das minhas mãos e não posso consultá-lo.
Ao que parece, Romualdo realmente existiu e era realmente bom em contar causos. Simões Lopes Neto o escutou e, da sua bela maneira e acrescentando uma vírgula lá e um ponto aqui, transcreveu de maneira admirável tais histórias. No melhor sotaque gauchesco, Simões nos apresenta um baita trovador, encantador e divertido. Logo no começo, me peguei rindo sozinha e passando, provavelmente, por maluca, já que estava em local público.
Reconhecido como a chave de ouro na obra de Simões Lopes Neto, Casos de Romualdo é aquele livro cuja leitura nos diverte, encanta e, por que não?, emociona. Para testar e provar o que digo, te convido agora a, com agradecimentos imensos à Universidade Federal de Pelotas (UFPel), ler o livro aqui, indicando que ao menos a história III, Quinta de São Romualdo, seja lida.


E pegando o embalo, retomo aqui outros livros da literatura gaúcha sobre os quais já falei aqui:

O tempo e o vento, de Erico Veríssimo
Satolep, de Vitor Ramil

_______________________________

Hoje, 11 de setembro de 2011, este blog comemora seus três anos. Sempre tenho ânsias de excluí-lo, mas o que me prende é o fato de, através dele, ter conhecido tantas pessoas legais (que eu não vou citar, mesmo que seja essa minha vontade, pra não esquecer ninguém). Adoraria, como agradecimento, dar um presente pra cada um dos que se ocupa de vir aqui, mas me é impossível. Pensei, então, em simbolicamente sortear algo aqui, mas fui travada na questão: "O quê?". Esse blog nem sequer tem um tema definido e, com um certo orgulho digo, tem um público bem variado. Pensei em algo meio personalizado, mas tudo que tenho capacidade de fazer é uma seleção de músicas e capas toscas de caderno, como os presentes que dei pra Pandora, e acho que sortear algo assim não ia ser muito interessante. Ou seja, se alguém tiver uma boa ideia do que eu posso dar pra vocês, meus caríssimos, me avise, sim?
Gracias, viel Danke, grazie, obrigada, thanks por vir a este beco virtual.

4 comentários:

Allyne Araújo disse...

uau!!! três anos?!! parabéns! mais do q pro seu blog pra tua capacidade de atrair tantas pessoas e escrever sobre coisas diversas, tb escrever de um jeito maravilhoso.. ta deixa de tanto puxa saquismo.
Eu não conhecia esse livro, ou será q já tinha visto falar? bem, nao lembro, mas vou lê-lo, brigada pelos links! bjoooo

Pandora disse...

Seria um pecado vc excluir o bloguito, uma maldade sem tamanho!!! O blog se torna nossa memória, um pedacinho da gente, mas atire a primeira pedra quem nunca pensou nisso rsrs...

Alias, vc tem mais é que orgulhar do seu blog é o que a gente pode chamar de blog enchuto, sem "frescuras" a gente pode até gostar mais de uma postagem do que de outra, mas nunca pode dizer que vc escreveu bobagem.

E a postagem de hoje então, eu adoro saber mais sobre literatura regional, como o Brasil é grande a gente acaba sem conhecer direito os outros estados e sua cultura então acho muito massa quando as blogueiras começam a falar sobre as peculiaridades de seus estados, de suas culturas, especialmente quando é coisa boa, como a música ou a literatura!!!

Cheros Ana, parabéns!!!

Luna Sanchez disse...

Excelente dica de leitura, Ana!

E de presente eu quero a garantia de que tu não vai excluir o blog. Que tal?

;)

Beijo grande!

M. disse...

Eu que preciso de uma instante maior para ler todas as suas dicas de livro. Adoroooo!!!!