quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A confissão - John Grisham

Donté Drumm está no corredor da morte, a quatro dias da execução, pelo assassinato de Nicole Yarber. No Kansas, a quilômetros de distância de onde Donté está preso, um homem, Travis Boyette, vai até o pastor Schroeder, confessa o crime e diz que não lhe agrada ver um inocente morrer. Iniciam-se, então, os quatro dias mais angustiantes que Keith Schroeder já viveu na tentativa de impedir a terrível injustiça que o estado do Texas está prestes a cometer.
Boyette é o legítimo condenado maluco. Numa hora ele está ali, no outro, desapareceu. Em um instante ele está se corroendo de arrependimento, no outro não está nem ligando. Pastor luterano, Schroeder, como um bom homem de Deus, não consegue aceitar a ideia de ficar de braços cruzados enquanto um inocente é morto por um crime que não cometeu e, por isso, enfrenta a repulsa que Trevis Boyette lhe desperta para salvar o jovem Drumm do corredor da morte.
O grande problema está em fazer com que Boyette assuma publicamente o crime, já que está sempre mudando de ideia, além de fazê-lo ser ouvido quando isso acontecer. Schroeder, então, entra em contato com o advogado de Drumm, Robbie Flak, mas encontra dificuldade nisso, já que ele não é o único que liga para o escritório Flak dizendo saber a verdade sobre o assassinato de Nicole Yarber e, no momento, Robbie e sua equipe estão ocupados demais correndo contra o tempo para salvar seu cliente para parar e averiguar quem está falando sério ou não.
Grisham usa e abusa do seu modo único de escrever histórias criminais, fazendo com que realmente percamos o fôlego lendo. Com temas polêmicos, como pena de morte e disputas raciais, envolvendo justiça, política, sociedade e família, o livro nos faz, inevitavelmente, olhar pro lado e pensar e repensar sobre certas coisas.
Provavelmente o livro mais novo que li nos últimos anos, "A confissão" é o mais recente livro de John Grisham, um escritor que me conquistou nas primeiras páginas que li dele. Formado em Direito, os livros de Grisham estão sempre ligados à justiça, com casos tão interessantes que não nos fazem ler, mas devorar o livro, já que, até que se termine a leitura, não consegue-se pensar em mais nada.

4 comentários:

Erica Ferro disse...

Como disse pelo Twitter, a resenha ficou ótima! :)

Estou lendo "O último jurado", também do Grisham. É o primeiro livro que leio dele e acho que já posso me considerar fã do cara. Ele é mesmo sensacional! :D

Allyne Araújo disse...

Muito bom! Vou ler-lo assim que der um baixa no segundo capitulo do tcc. bjoooo

VaneZa disse...

Eu já fiquei tensa só em você contar um pouco do livro. rs

BeijoZzz

Luna Sanchez disse...

Mazaaá, a guria é boa também de resenha!

Um beijo, Ana.

Anotei a dica mas a lista está enorme e se o mundo terminar mesmo em 2012, já era.

Rs