quarta-feira, 9 de maio de 2012

Eles não tem culpa

Hoje é aniversário de uma amiga minha que me disse algo que, sem que ela saiba talvez, é constantemente lembrado por mim e, creio, a consequência é que me tornei uma pessoa melhor (ou pelo menos assim quero crer). Ela não disse uma vez, mas bem mais. Seria bonito eu dizer que me liguei na mensagem na primeira vez que ouvi, porém acho que não seria correto. Talvez o que tenha me marcado tenha sido a insistência dela em dizer:

Os outros não têm culpa dos teus problemas.

Sim, é uma frase até bem comum, mas foi essa minha amiga que me fez parar e pensar nisso. Uma das tantas taurinas que cercam minha vida. Veja, o fato é que, pelo menos tenho essa impressão, um tempo atrás eu era um bocado rabugenta. Acho que ainda sou um pouco. Não que eu ficasse xingando os outros por aí, mas talvez o fizesse mentalmente por qualquer tolice.
Tenho lá meus problemas, sempre tive, e o modo com que lidava com eles era com esses resmungos mentais. Antes que eu (des)evoluísse pros verbais, essa minha amiga me salvou. Ou pelo menos gosto de crer que foi ela. Pelo menos em alguma parte ela é a culpada por eu simplesmente deixar os problemas nos lugares em que são criados e ter a capacidade de sorrir a qualquer pessoa que me aborde na rua.
Pode parecer tosco e ridículo, mas o fato é que seguidamente eu me lembro "Eles não tem culpa". Aliás, eu consigo ver essa minha amiga me xingando quando eu esqueço disso. Sabe aquela voz na consciência? Ela tem o rosto da minha amiga quando diz "Custava ser mais simpática? Ninguém tem culpa do teu mau humor, do teu azar ou de qualquer um dos teus problemas". Nessas horas eu fico a um passo de voltar pra trás e pedir desculpa a quem eu penso ter ofendido. 
Aí eu reparo em que mundo pilantra nós andamos. Todo mundo correndo de cá pra lá, esbarrando nos outros na rua sem a miníma preocupação de pedir desculpas, xingando o motorista da frente por ele não ter arrancado no segundo em que a sinaleira (ou semáforo, como queira) abriu, ocupando-se em resmungar pelo que deu errado em vez de tentar encontrar uma maneira de que dê certo... Ô, mundinho salafrário... Aliás, o mundo não, as pessoas que moram nele.
E por isso eu acho importante não só dar feliz aniversário para a amiga que eu não vejo há mais de ano, mas especialmente dizer a ela o quanto ela me ensinou e agradecer por isso. Muitíssimo obrigada, Camila. E feliz aniversário. 

5 comentários:

Roderick Verden disse...

Muito pertinente seu texto. Quantas pessoas são assim, se estão com problemas, tratam as outras mal, sendo que essas, de fato, nada tem com nossas mazelas. Acho um tremendo de um fardo, um porre, lidar com gente deste naipe.

Fico contente, Ana, de vc ter mudado.
E feliz aniversário para a sua sábia amiga, Camila!

Davi Pereira disse...

Felicidades a sua amiga e quanto a abordagem de seu texto, está dispensando comentários.

Christian V. Louis disse...

Eu acredito que há dois modos de lidar com problemas. Um deles é você ter cometer seus próprios erros e jogar a culpa em alguém específico ou mais de uma pessoa.
Outra, são estes tiros para todo o lado que costumamos dar quando estamos mal, contanto, sem jogar a culpa diretamente nas pessoas onde descontamos irracionalmente nossa raiva.
Um autocontrole realmente é necessário para a sobrevivência.
Um feliz aniversário atrasado a sua amiga.
Amigos de verdade são assim mesmo, escancaram nossos defeitos, mas com a única intenção de perceber onde estamos nos equivocando e nos ajudar a nos tornarmos pelo menos um pouco melhores.

Christian V. Louis disse...

Não repare os erros, meus dedos psicopatas digitaram muito rápido e detesto deletar posts, primeiro porque o autor vai ler mesmo seus erros porque caem no e-mail e segundo fica péssimo "esta postagem foi removida pelo autor", como se ele tivesse escrito algo absurdo e se arrependido.

Notas de Rodapé disse...

Olha Ana eu sei como é isso, não consigo fingir estar feliz quando não estou, mas quando entro em sala de aula, por exemplo, tenho que sorrir e deixar os problemas de lado. O difícil é esquecer deles fora de aula!!!


Lindo post!