sábado, 30 de junho de 2012

Ileais amigos

Eu tenho umas fases meio estranhas, nas quais penso e repenso certas coisas e, obviamente, resmungo a valer. Um dos assuntos que vez ou outra revejo é amizade. O que é amizade? Quem eu considero amigo mesmo e quem me considera assim? E coisas do tipo. Mas aí, nos tempos de calmaria, eu não só sossego, como me sinto tola. Até que me vem alguém e diz o que eu penso nessas minhas horas de pensamentos ininterruptos e angustiantes. E aí eu penso que não estou tão louca.
Um tipo de me amizade que me incomoda, se é que é amizade, é aquela que te cobra a todo momento. Te cobra pelo que tu disse, pelo que tu não disse, pelo que tu fez, pelo que tu não fez. Te cobra sem nunca perceber o que tu já fez por pura amizade. Aí eu me pergunto, é amizade mesmo? Aquela pessoa que te cobra atenção ao máximo, mas nunca se dispõe a realmente prestar atenção no que tu está dizendo, que fica sempre na defensiva, é realmente amiga?
E tem aquele grupinho de anos da escola... Depois de tantos anos, continuam sendo amigos? De verdade? Talvez com um a afinidade ainda continue, mas será que com todos? As pessoas mudam, oras. Aceitar que a amizade se extinguiu não é tão errado, penso eu, quanto insistir numa convivência que já não é natural... Acaba que fica mais naquela de "amigo de feliz aniversário", mas que nunca sabe o que se passou durante todo o ano na vida do outro. Isso é mesmo amizade?
Não esqueçamos do amigo festeiro, que só lembra de ti na hora que quer sair e tá sem companhia. Mal fala contigo, pouco se importa com a tua vida, e sempre te dá dor de cabeça. É aquele que abusa mesmo da tua boa vontade, que nunca se importa de olhar pra ti, já que só te olha tempo suficiente pra descobrir o que tu pode fazer por ele. E tu, boa alma, ainda tem fé na pessoa. 
Afinal, o que é amizade? Sou meio suspeita pra falar, já que vou pelo simples, pelo natural. Amizade não se conceitua, acho, ela se vive, se experimenta. A partir do momento que tu para pra questionar se é amizade, creio que já não é mais. Amigo pra mim é aquele com quem tu fala por horas sem perceber, que te faz sorrir com a coisa mais tola, que percebe de longe quando tu não tá legal, que te apoia, que não fica dando conselhos-prontos, que não passa um ano sem falar contigo e acha que prova que a amizade existe ao te dar um presente. 
Assim como há aquelas amizades com começo e fim, amizades que foram essenciais em certos momentos da tua vida e já não são mais a partir de certa fase, há aquelas amizades, essas sim reais, que são atemporais. São amigos que, por alguma razão, se afastam, mas, quando se encontram, parece terem se falado no dia anterior tamanha a naturalidade com que agem. Isso é amizade: naturalidade. Nada de exigências, nada de dramas, nada de interesses forçados. Apenas amizade.
_________________________________________
Tema de sugerido pela Jéssica Trajano.
O título tosco é resultado do fato de eu estar ouvindo Paulinho Moska e resolver fazer um trocadilho tosco com a música Leais Inimigos.

4 comentários:

Jéssica Trajano disse...

Ana ficou maravilhoso o texto, era bem isso que eu tinha em mente mesmo!! Vc como sempre me deixando sem palavras com suas palavras.. kkkk Parabéns e muito bom de verdade :D

Anderson Kravczyk disse...

Ao ler esse texto é como se tivesse minha linda carinha sendo esbofeteada. Quantas vezes forcei amizades sem nunca me dar conta o quanto isso incomodava de quem queria chamar atenção.... Acho q to aprendendo a passos lentos, bem lentos, a me portar para com os outros...

=*=*=*=*=*=*=*=*=*=*=

O blog ta melhorando bastante ^^, até eu q sou chato pra burro to lendo e gostando =D hehehe

Christian V. Louis disse...

Ana, ileais amigos é contraditório. Ainda bem que explicou a razão do post e fui pesquisar pelo cantor e tem algumas letras interessantes.
Amizade é uma coisa complicada, penso que aqueles que nos procuram somente quando precisam não sejam amigos.
Lembro de frases clássicas que vemos em redes sociais e já iniciam com: "Amigo verdadeiro é aquele..."
Amigo e verdadeiro é redundância. Se não é verdadeiro, como poderia ser chamado de amigo?
Gostei da sua crônica, da descrição sobre a amizade, pensamos do mesmo modo. Não é distância de tempo ou espaço que nos afastam dos amigos, é a distância de mentes.

Dayane Pereira disse...

Resumiu o que penso sobre amizade Ana! Principalmente sobre aqueles amigos beeem antigos, que vc não sabe o que se passa na vida deles o ano todo, só se falam ao desejar feliz aniversário. Mas quanto a naturalidade das amizades, lendo seu texto, percebi que com algumas pessoas isso existe.. são poucas, mas é bom estar ciente que elas existem =))